Como funciona a inteligência artificial? Por que ela aparece como uma solução para empresas?

Entenda como funciona essa tecnologia que está em franca ascensão

Antigamente, a inteligência era associada apenas à capacidade humana. Com o surgimento de novas tecnologias, em especial a informática, atividades passaram a ser realizadas com mais praticidade, mas quem entende como funciona a inteligência artificial entende que ela vai além disso.

Há pouco tempo, pareceria uma utopia afirmar que as máquinas teriam capacidade de raciocínio e pensamento, mas estamos em uma época onde isso já é realidade, interfere diretamente em nosso cotidiano e ainda tem um vasto potencial a ser explorado.

Vamos conhecer a definição e a origem da inteligência artificial, o que está por trás de seu funcionamento e qual pode ser sua influência comercial em uma sociedade cada vez mais conectada.

O que é a inteligência artificial?

Basicamente, é a inteligência demonstrada por máquinas, em contraste com a inteligência natural que é mostrada por humanos e outros animais.

De acordo com a ciência da computação, inteligência artificial (também conhecida como IA, Artificial Intelligence ou AI) é o estudo de agentes inteligentes, ou seja, dispositivos que percebem o que está ao seu redor e realizam ações que maximizam as chances de atingir os objetivos propostos.

De acordo com Andreas Kaplan e Michael Haenlein, professores de marketing, AI é a habilidade de um sistema interpretar corretamente dados externos, aprender sobre os dados e colocar tal aprendizado para atingir metas e objetivos específicos através de uma adaptação flexível.

É justamente a realização de funções cognitivas que os seres humanos costumavam associar apenas a outros humanos, como aprendizado e solução de problemas, que fazem a inteligência artificial ser tão fantástica.

Qual é a origem da inteligência artificial?

Ainda que ela seja uma das tendências de TI que você precisa saber hoje em dia, seu conceito já existe há muito tempo, como na obra Frankestein, de Mary Shelley, livro publicado em 1818, ou seja, há mais de 200 anos.

Alan Turing, que foi determinante para o desenvolvimento da ciência da computação, disse que se um ser humano não conseguisse distinguir entre as respostas de uma máquina e um humano, então a máquina poderia ser considerada inteligente.

O primeiro trabalho que é agora reconhecido como referente à inteligência artificial foi o design formal dos neurônios artificiais, desenvolvido em 1943, o qual era reconhecido como Turing-completo (ou computacionalmente universal), ou seja, capaz de manipular uma máquina de Turing.

O campo de pesquisa da IA nasceu em um workshop da Faculdade de Dartmouth, em New Hampshire, Estados Unidos, no ano de 1956, cujos participantes se tornaram os fundadores e líderes da pesquisa sobre o assunto.

Na época, onde o conhecimento a respeito de como funciona a inteligência artificial era ainda menor do que hoje, os trabalhos desenvolvidos por eles e seus estudantes foram declarados como surpreendentes pela imprensa.

As máquinas com IA eram capazes de aprender estratégias de damas (em 1954, e de superar o desempenho médio de um ser humano em 1959), resolver problemas matemáticos, prover teoremas lógicos e até falar inglês.

Então, o processo começou a caminhar lentamente, até que em 1974 chegou o que é conhecido como “inverno da IA”, onde era difícil obter financiamentos para projetos da área.

No início da década de 1980, a AI voltou a apresentar sucesso comercial. Em 1985, o mercado da área superou a marca de US$ 1 bilhão, e o projeto da quinta geração de computadores, lançado pelo Japão, inspirou os governos norte-americano e britânico a voltar a investir na AI.

Em 1987, houve mais uma pausa em seu desenvolvimento, o qual foi retomado no final da década de 1990, a partir de quando ele se manteve forte e contínuo, até chegar ao que temos hoje.

Como funciona a inteligência artificial?

Baseada na tecnologia e na ciência da computação, ainda que possa parecer algum tipo de solução mágica. Os sistemas de IA analisam o ambiente e tomam as decisões com maiores probabilidades matemáticas de apresentarem o melhor resultado.

A função de um sistema de inteligência artificial pode ser simples (“1 se a máquina vencer um jogo de xadrez e 0 se não vencer”, por exemplo) ou complexa (realização de ações matemáticas similares às que foram bem-sucedidas no passado).

Geralmente, a IA depende do uso de algoritmos (conjunto de instruções inequívocas que um computador mecânico pode executar), entre os quais os mais complexos são desenvolvidos através da junção de algoritmos simplificados.

Um exemplo prático pode ajudar a entender como funciona a inteligência artificial, como em um jogo da velha, no qual a máquina é programada para trabalhar da seguinte maneira:

1 – Se houver uma “ameaça” (ou seja, dois símbolos em conjunto), preencha o quadrado faltante. Caso contrário;

2 – Se um movimento “forçar” a criação de duas ameaças de uma vez, realize-o. Caso contrário;

3 – Preencha o quadrado do centro se este estiver vazio. Caso contrário;

4 – Se o adversário preencheu um dos cantos, preencha o canto oposto. Caso contrário;

5 – Preencha um canto vazio, caso haja. Caso contrário;

6 – Preencha um quadrado vazio.

Logo, a programação é feita de modo a seguir uma ordem, e a aplicação de todas elas faz com que a inteligência artificial seja posta em prática, em um processo que simula o raciocínio humano.

Como a inteligência artificial pode ajudar as empresas?

Através da realização de atividades que antes só eram feitas por pessoas, mas que agora poderão ser delegadas às máquinas com poder de raciocínio e tomada de decisões.

A inteligência artificial nas empresas é algo que ainda não é adotado por todas as companhias, é verdade, mas a tendência é de que ela esteja cada vez mais presente no meio corporativo.

Uma empresa pode abrir mão dos colaboradores que trabalham no estoque e delegar as atividades de transporte e armazenamento a robôs, o que inclusive é capaz de aumentar a produtividade, reduzir falhas humanas e cortar custos.

A manutenção de máquinas e equipamentos também pode ser potencializada através da instalação de sistemas de inteligência artificial, os quais avisam os profissionais da manutenção quando alguma peça ou componente está em vias de ser danificada e, assim, permite a realização de manutenções preventivas.

Depois de entender como funciona a inteligência artificial, essas atividades já parecem possíveis de ser realizadas, e elas foram extraídas de empresas reais. O exemplo do estoque foi adotado pela Amazon, enquanto a AI para manutenções é utilizada pela GE.

Esses são apenas alguns exemplos, já que o potencial da inteligência artificial é muito amplo e pode atingir tantas soluções quanto pudermos imaginar.

De acordo com uma pesquisa feita pela Forrester, o investimento em IA no ano de 2017 seria mais de 300% maior do que o de 2016, o que mostra que a área está sob forte destaque.

Outra pesquisa, da Oracle, mostrou que 80% dos negócios planejam adotar inteligência artificial como uma solução de atendimento ao cliente até 2020, ou seja, a cada 5 empresas, apenas uma não deve recorrer a tais recursos.

A transformação digital já é uma realidade, e empresas que não estiverem dispostas a alterar seu modus operandi provavelmente perderão muito espaço no mercado, já que a AI pode trazer reais vantagens competitivas às companhias.

Assim como a gestão de telecom já foi uma novidade e hoje é amplamente utilizada, nem todas as pessoas e empresas sabem como funciona a inteligência artificial, mas não há como duvidar que ela terá um papel essencial nas relações comerciais em um futuro bem próximo.

assinatura

Queremos ajudar sua empresa também! Solicite, sem compromisso, seu orçamento.


Qual sua opinião sobre o assunto?